Tudo o que você precisa saber sobre a graduação em Administração

Está pensando em cursar a graduação em Administração? Pois saiba que muitas pessoas também escolhem essa área. Não é à toa que o curso está cada vez mais popular no Brasil, figurando — como você verá mais à frente — na lista dos mais procurados do país.

Porém, você consegue imaginar o motivo disso? Sabe todos os detalhes e particularidades dessa formação? Tem ideia de como está o mercado para quem se gradua e quais as possibilidades que um administrador apresenta ao longo da carreira?

Se você não tem as respostas dessas perguntas, sem problemas! Neste post, vai conferir todas elas e, de quebra, ainda poderá tirar todas as suas dúvidas a respeito da Administração. Por isso, aproveite a leitura!

Quais os números da graduação em Administração?

Para começar, que tal ficar por dentro dos números mais recentes da graduação em Administração no país, conforme as estatísticas do ensino superior de 2018, divulgadas pelo próprio Ministério da Educação? Falaremos sobre elas a seguir.

Afinal, a partir desses dados, dá para ter uma boa ideia se ela é ou não bastante procurada, onde se concentram os alunos do curso e se a área conta com muitos ou poucos formados para cobrir as demandas do mercado. Por isso, fique atento a essas pesquisas!

Número de vestibulandos que concorreram ao curso

De acordo com o MEC, em 2018, 17.213.064 brasileiros prestaram vestibular. Ou seja, bastante gente! Desse total, 7,87% — o que representa 1.355.035 pessoas — se inscreveram para concorrer a uma vaga no curso de Administração.

O percentual é tão alto que fez dessa formação a principal alternativa dos vestibulandos. Porém, esse resultado não é exclusivo de 2018, viu? No levantamento de 2017 ele também se repete, com 1.300.226 inscritos.

É um desempenho que, sem dúvidas, mostra como a profissão não só vem chamando a atenção de quem está no processo de escolha da carreira, como também é cada vez mais valorizada e considerada necessária pela sociedade.

Número de matriculados nessa graduação

Já quando falamos a respeito de matrícula, a Administração teve 654.843 realizadas em todo o território nacional em 2018. Em outras palavras, isso significa que a concorrência no curso foi de 4,83 pessoas por vaga.

Outro dado interessante que o MEC informou nas estatísticas é que a maioria dos aprovados para começar a graduação na área estava na rede privada de ensino que, sozinha, acumulava 87,26% do total das matrículas no ano — cerca de 571.420 estudantes.

Isso mostra que se dependêssemos exclusivamente das universidades federais e estaduais, o número de universitários — e, consequentemente, de profissionais do ramo — seria quase nove vezes menor do que é. Portanto, são as instituições particulares as principais responsáveis pela oferta de vagas e formação dos futuros administradores do país.

Número de graduados em Administração

O Ministério da Educação também revelou a quantidade de estudantes que se formaram em Administração em 2018: cerca de 103.342. Aqui, mais uma vez, a rede privada de ensino se destaca, pois ela graduou nada mais, nada menos, que 89,64% desse total — o que resulta em, aproximadamente, 92.636 indivíduos.

“Mas esse número não é muito alto, ainda mais se levarmos em conta que é o total de apenas um único ano?”, você pode estar se perguntando, com receio de que o mercado esteja saturado de tantos administradores. Porém, fique tranquilo. A resposta é não — e a gente explica o porquê.

levantamento de 2017 do Conselho Federal de Administração (CFA) apontou que existem apenas 413.816 administradores registrados e ativos em todo o Brasil (isso, é claro, já contando pessoas físicas e jurídicas).

Para completar, a plataforma DataSebrae, mantida e atualizada pelo Sebrae, informa que, atualmente, há 19.228.025 empresas no país. Logo, como você pode ver, a conta não fecha, pois existem em torno de 47 vezes mais organizações que o total de administradores no país. O Brasil ainda apresenta uma carência grande de profissionais da área.

Isso fica mais evidente quando temos em mente que a Administração é um ramo diretamente relacionado com a gestão dessas organizações — quanto aos negócios, funcionários, fornecedores, recursos etc. —, e que, para além do número expressivo já existente, a cada dia são abertas novas empresas que também precisam de administradores.

Por isso, muitas companhias são de grande porte, com centenas de colaboradores, lojas físicas, serviços presenciais e online e, inclusive, atuação aos níveis nacional e internacional. Logo, é comum que seja necessário não só um profissional da Administração, mas vários deles empregados em um só local.

É por isso que, mesmo que todos esses recém-formados fossem atuar em um único estado brasileiro, eles só conseguiriam cobrir a demanda de três federações: Acre (com 41.091 empresas), Amapá (com 39.923 empresas) e Roraima (com 31.030 empresas).

Já em São Paulo, que é o estado com a maior quantidade de companhias — 5.890.371 ao todo —, faltariam profissionais e sobrariam oportunidades de emprego no mercado.

Como funciona a graduação em Administração?

graduação em Administração tem duração de quatro anos e pode ser cursada tanto pela manhã quanto à noite — vai depender apenas das suas necessidades e dos seus horários livres, caso você já trabalhe e/ou tenha outros compromissos no dia a dia.

É importante dizer que o curso se trata especificamente de um bacharelado, uma vez que não foca em um segmento delimitado do mercado (como os cursos tecnólogos) e não o prepara para ser um professor (como as licenciaturas). Ao contrário, esse tipo de habilitação o qualifica para o mercado e todas as possibilidades de atuação de um administrador.

Como é composta a matriz curricular?

Não pense que a matriz curricular do curso de Administração se resume aos números. Na verdade, ela é bem diversificada, pois a graduação objetiva apresentar ao estudante todos os aspectos estratégicos envolvidos na criação, no lançamento, na gestão, na revisão, na expansão e até mesmo no encerramento de uma empresa — que pode ser de origem pública ou privada. Para tanto, você estuda na graduação matérias como:

  • Práticas Empreendedoras;
  • Gestão Pública Contemporânea;
  • Organização do Estado e Poderes;
  • Relações Trabalhistas e Sindicalismo;
  • Análise e Gestão de Custos;
  • Gestão Estratégica de Vendas;
  • Gestão de Empresas Globais;
  • Sistemas de Micro e Macroeconomia.

Além disso, é importante falar que a Administração é uma formação multidisciplinar. Ou seja, ela abrange muitos conteúdos que são de áreas de conhecimento afins, como Marketing, Direito, Ciências Contábeis e Gestão de Pessoas.

A matriz curricular oferece disciplinas que ajudam a expandir o seu conhecimento sobre os universos corporativo e público e o preparam para comandar desde os mais diferentes núcleos e setores internos de uma companhia até a diretoria geral de grandes organizações. Veja alguns exemplos:

  • Processos Contábeis;
  • Direito Empresarial;
  • Gestão de Marketing;
  • Gestão Do Comportamento Humano.

A graduação tem estágio?

Em dúvida se há estágio na graduação em Administração? Pois saiba que a resposta é positiva, viu? Sim, existe. Isso porque a lei nº 11.788/08 prevê que ele ocorra em todos os cursos de nível superior, independentemente da área de formação.

Porém, a lei não fala só de um tipo de estágio, mas sim de dois formatos diferentes, cada um com características próprias. Por isso, neste tópico, você ficará por dentro deles. Confira!

Estágio obrigatório

O estágio obrigatório, como o nome já sugere, será uma etapa inevitável para os estudantes. Isso acontece porque a instituição de ensino, ao planejar a matriz curricular do curso, reserva uma determinada quantidade de horas destinadas para a prática de estágio em organizações públicas e/ou privadas com as quais tem convênios.

Essa é uma forma de assegurar que os alunos terão uma iniciação profissional ainda no decorrer da vida acadêmica, podendo conhecer e avaliar melhor tanto o mercado quanto as áreas de atuação da profissão escolhida.

Vale mencionar ainda que esse tipo de estágio — também chamado de estágio curricular, por conta do que falamos — pode acontecer em dois ou mais semestres (geralmente, os mais avançados) e não é remunerado.

Ou seja, um ou mais professores promovem reuniões regulares com os alunos para acompanhar as atividades que desempenham no local em que estagiam. Os docentes também debatem com os estudantes sobre as percepções que podem ter mudado ao praticarem o conteúdo que aprenderam na sala de aula.

Estágio não obrigatório

O estágio não obrigatório (ou não curricular), por outro lado, se trata daquele que não é exigido na matriz curricular da universidade nem é monitorado de perto por ela. A razão disso é que o estudante consegue a vaga, de maneira independente, enviando currículo e participando dos processos seletivos de companhias que costumam contratar estagiários.

Nesse caso, o aluno atua em empresas que não são conveniadas à instituição de ensino e costumam ser, em sua maioria, privadas. Além disso, esse tipo de estágio tende a ser remunerado e pode começar até mesmo a partir do segundo semestre do curso.

Realizá-lo é, sem dúvidas, uma boa oportunidade para ganhar experiência e conhecer mais a realidade do mercado. No entanto, é preciso ter em mente que ele não substitui o estágio curricular. Ao contrário, é feito à parte, conforme o interesse do aluno.

Como escolher uma instituição para estudar?

“Estou mais do que decidido a fazer Administração. Porém, como escolher uma instituição de ensino na qual eu realmente posso me capacitar para o mercado de trabalho?”, você pode estar se questionando.

Isso porque uma universidade de qualidade vai além da infraestrutura, oferecendo ambientes, experiências acadêmicas e metodologias de ensino — como a hands on adotada na UVA — que aperfeiçoam o seu aprendizado e o seu desenvolvimento profissional. Por isso, veja as nossas dicas e saiba o que avaliar antes de tomar a sua decisão:

  • cheque quem são os professores que fazem parte do corpo docente da instituição para saber mais sobre os títulos acadêmicos, os trabalhos defendidos em congressos, os projetos científicos e as experiências profissionais que eles têm;
  • confira a matriz curricular e veja se, fora os conteúdos teóricos, são fornecidas atividades práticas (jogos, projetos interdisciplinares, aulas em laboratório etc.) que trabalhem situações reais comuns na rotina de um administrador;
  • pesquise informações sobre o projeto pedagógico do curso e o histórico da instituição para saber a respeito da tradição de ensino no local, as conquistas acadêmicas, os valores e objetivos da marca e as notas dela no MEC (como o Enade, o IGC e o CI);
  • veja se a universidade contempla uma central de estágios com a qual você possa contar para se informar a respeito de estágios (obrigatórios e não obrigatórios) e até mesmo aumentar as suas chances de ingressar no mercado;
  • leve em consideração a oferta de cursos extras e gratuitos, como os de língua inglesa e liderança, que vão valorizar o seu currículo, ajudá-lo a desenvolver novas habilidades e domínios e prepará-lo para atender as demandas das empresas.

Como se sair bem na universidade?

No tópico anterior, nós mostramos como escolher uma boa instituição de ensino para estudar Administração. Contudo, você também deve estar se perguntando como fazer para se sair bem na universidade, quando começar o seu curso, não é mesmo?

Afinal, muito mais do que ter boas notas, você quer que o seu aprendizado seja produtivo e realmente o prepare para ter uma carreira exemplar. Por essa razão, reunimos algumas dicas que vão contribuir para esse objetivo. Tome nota delas!

Evite faltar às aulas

A primeira delas é bem direta: não falte às aulas sem motivo. Tenha em mente que, no ensino superior, você tem várias disciplinas por semestre, cada uma com conteúdos, trabalhos, projetos, tarefas e até atividades extracurriculares e de extensão.

Ou seja, ao faltar, você perde muita coisa, podendo, inclusive, ficar bastante atrasado se comparado aos seus colegas. Por isso, discipline-se tanto para acompanhá-las adequadamente quanto para não chegar atrasado.

Estude e revise com frequência

Você teve uma semana repleta de novos conteúdos e sugestões de materiais para ler? Pois não deixe de lado, acumulando até virar uma bola de neve gigantesca. Seja esperto e comece a organizar um cronograma de estudos e revisão para o semestre. Por exemplo, todo sábado das 08 às 14 horas.

Assim, você tem a chance de rever todos os assuntos discutidos nas disciplinas — fixando-os na memória —, deixar os exercícios e demais tarefas em dia, fazer as leituras recomendadas pelos professores e ainda montar resumos das matérias que vão lhe ajudar na preparação para as avaliações.

Não deixe as dúvidas para depois

Uma terceira dica valiosa é não deixar as dúvidas para mais tarde. Sim, a gente sabe que, às vezes, bate aquele receio de falar em público e de demonstrar que não entendeu a matéria. No entanto, não há nada para se envergonhar! Você, assim como os seus colegas, estão ali para aprender, e o papel do professor é justamente dar todo o suporte nesse processo.

Portanto, nada de se acanhar! Fale quais são as suas dúvidas, peça exemplos práticos, pergunte se há outros livros e materiais que podem complementar os seus estudos etc.

Pode ter certeza de que os docentes vão ficar contentes e fazer o possível para ajudá-lo, ao ver você sendo participativo na aula e se empenhando em entender as explicações deles.

Aproveite ao máximo o seu campus

Além do que já foi falado, aproveite (e muito) o seu campus, pois o seu aprendizado não evolui nem se expande apenas na sala de aula. Há muitos eventos e atividades — como palestras, congressos, seminários, encontros, semanas temáticas de cada profissão, cursos livres, projetos de extensão etc. — que ocorrem na universidade e ajudam você a:

  • ter contato com o mercado de trabalho;
  • se aprofundar nos campos de atuação da Administração;
  • descobrir os desafios e os dilemas da carreira de administrador;
  • acompanhar as novidades e tendências do seu ramo no Brasil e no mundo;
  • fazer networking e construir sua própria rede de contatos;
  • desenvolver novas habilidades profissionais;
  • trabalhar e aprimorar suas soft skills.

Isso tudo sem falar nos programas de iniciação científica que o levam a conhecer mais sobre a pesquisa acadêmica e como é a produção de conhecimento no nosso país.

Quais os caminhos possíveis após concluir a graduação?

Depois de tudo o que mostramos sobre a graduação em Administração, reservamos este tópico para falar acerca do que acontece depois de você receber o seu diploma de bacharel na área.

Isso porque esse não só é o momento de vivenciar os desafios do mercado em período integral, mas também de dedicar a sua carreira a um dos oito campos de atuação reconhecidos pelo Conselho Federal de Administração (CFA) e divulgados no portal do órgão.

Portanto, é essencial conhecer quais são os caminhos disponíveis quando você se tornar um administrador, não concorda? Veja, abaixo, quais são eles!

Administração e Seleção de Pessoal

Conhecido popularmente como Recursos Humanos, esse segmento é voltado à coordenação de todos os aspectos que envolvem os colaboradores da empresa: seleção, contratação, definição de atribuições do cargo, desenvolvimento de plano de carreira, planejamento de remunerações e benefícios, desligamentos e afastamentos etc.

Organização e Métodos

Os administradores que atuam nesse campo concentram-se na estruturação dos processos internos das organizações, como é o caso dos sistemas que serão usados pelos funcionários no serviço deles, os projetos que serão desenvolvidos para a comercialização de produtos e a organização de dados e procedimentos privativos da diretoria.

Administração de Produção

O administrador de produção atua, como o nome já diz, com a linha de produção de peças ou materiais fabricados pela organização. Ele é o responsável por monitorá-la, otimizá-la e planejar ações que a tornem mais eficiente e econômica.

Administração Financeira

Na Administração Financeira, o profissional realiza a gestão de bens, investimentos e recursos da companhia. É ele, por exemplo, quem garante o pagamento dos funcionários, disponibiliza a verba para os departamentos cobrirem custos não previstos, acerta o valor de parcerias e contratações externas, entre outras tarefas afins.

Orçamento

O administrador de Orçamento trabalha lado a lado com o administrador financeiro. Isso porque o foco também se trata das finanças da organização. Porém, enquanto o segundo gerencia a entrada e saída de dinheiro, o primeiro estima projeções de despesas externas e internas com fornecedores, manutenção de estabelecimento, linha de produção e por aí vai.

Administração de Material

Esse ramo, por sua vez, tem a ver com a logística de compra de insumos de fornecedores, o armazenamento de materiais (em galpões, indústrias, empresas etc.) e, em especial, a entrega de produtos aos clientes — já que os comércios virtuais têm ganhado cada vez mais força e o Brasil é um país bastante extenso.

Administração Mercadológica

O profissional desse campo trabalha analisando os concorrentes e promovendo estratégias de marketing para expandir e consolidar a imagem da empresa no mercado. É por isso que ele efetua pesquisas, ações, promoções, parcerias e divulgações publicitárias para atrair o público e aumentar as vendas.

Desdobramentos ou Conexos

Por último, o ramo de Desdobramentos ou Conexos diz respeito à administração que não envolve práticas comerciais, mas sim a prestação de serviços e as atividades de gestão e supervisão institucionais. É o que acontece, por exemplo, nos hospitais, em hotéis, organizações turísticas etc.

Quanto ganha um administrador?

Os dados da plataforma Salário apontam que o administrador ganha, em média, R$ 4.115,97. Porém, quando ele é um profissional que tem entre seis e nove anos de atuação na área, a sua remuneração em grandes organizações chega a R$ 5.174,87.

Já quando ele passa dos 10 anos de atividade em uma empresa de grande porte, os rendimentos aumentam em até 39,92%, chegando a R$ 6.849,94. Logo, é percebido que essa é uma profissão que não só permite estabilidade e crescimento constante, mas também bons salários ao longo de toda a carreira.

E então, deu para tirar todas as suas dúvidas depois dessa leitura completa sobre a graduação em Administração? Pois chegou o momento de planejar o seu futuro para uma carreira profissional de sucesso. Para isso, coloque em execução nossas dicas para escolher uma boa universidade e se sair bem como estudante da área. Afinal, quanto melhor a sua formação, melhor a sua capacitação para o mercado de trabalho.

Portanto, entre em contato com a gente e saiba como a UVA pode proporcionar as melhores experiências acadêmicas para você!