Entenda como o mapa mental para estudo pode ajudar na preparação para as provas

Memorizar um conteúdo para a prova pode ser um pouco difícil, principalmente quando se trata de um assunto complexo, certo? Por sorte, existem diversas técnicas que podem ser usadas para ajudar nessas tarefas. O mapa mental para estudo é um desses métodos e tem o objetivo de organizar as informações, o que torna a compreensão mais fácil.
Contudo, muitas pessoas não conhecem as suas vantagens ou têm dificuldades em começar a construir seu próprio mapa mental. Você é desse time? Então, saiba que a técnica pode ser feita em grupo ou sozinho e, para isso, basta organizar as informações e colocá-las no papel.
Se você deseja saber o que é um mapa mental e quais são os benefícios para a sua rotina de estudos, não perca o nosso post. Boa leitura!

O QUE É UM MAPA MENTAL?

Criado pelo psicólogo Tony Buzan na década de 1970, o mapa mental é uma das técnicas de estudo na qual o estudante dispõe informações e ideias de maneira mais fácil para o cérebro gravá-las. É por essa razão que tem esse nome: apresenta caminhos mentais que convergem a um tema central.
Para que esse método seja efetivo na criação de associações e conexões, ele é produzido com alguns elementos que, de modo geral, nosso cérebro gosta mais. Para Tony Buzan, alguns recursos podem favorecer a sinapse neural. Assim, são realizadas associações de conceitos e ideias, como:
  • disposição hierárquica, em vez de aleatória;
  • símbolos, no lugar de textos;
  • palavras isoladas, em vez de frases;
  • linhas curvas, em lugar de retas;
  • cores, em vez de branco e preto.

Os elementos são usados para dispor memórias e ideias que se conectam, com muitas ramificações para um mesmo tema.

QUAIS SÃO AS APLICAÇÕES DO MAPA MENTAL?

Para que possamos aprender, é importante que as informações sejam associadas no nosso cérebro aos conhecimentos prévios. Os mapas mentais partem desse princípio, utilizando uma estrutura de ramificações que associam as informações umas às outras.
Ao fazer um planejamento, por exemplo, o mapa mental ajuda a representar as atividades necessárias. Além da visualização gráfica, você também pode listar todas as atividades mais simples das quais os passos dependem. Essa técnica é usada para qualquer prática, como:
  • roteirizar conteúdos;
  • planejar tarefas, incluindo projetos, palestras e reuniões;
  • melhorar a comunicação com gestores, colegas ou clientes;
  • filtrar prioridades;
  • facilitar a organização e a realização de insights em brainstorming;
  • estruturar projetos;
  • estudar um assunto.

COMO O MAPA MENTAL PODE SER ÚTIL PARA OS ESTUDOS?

Quando estudamos para uma prova do curso de graduação ou para um concurso, por exemplo, é comum encontrarmos um tipo de problema: tudo o que é dito em uma determinada aula, só nos lembramos de poucas palavras e, em muitos casos, esquecemos de como elas estavam relacionadas.
Com isso, o resumo se torna mais fraco, pois você não sabe o que anotar e acaba escrevendo demais. Portanto, o mapa mental é uma ferramenta muito importante, capaz de melhorar a produtividade nos estudos. Ele facilita a revisão porque o estudante destaca as palavras-chave e indica as relações entre elas para relembrar o que aprendeu.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DE USAR O MAPA MENTAL PARA ESTUDO?

O mapa mental é uma excelente ferramenta para quem deseja estudar e se dar bem nas provas do Enem, do vestibular ou da própria graduação. Por meio dele, é possível extrair diversos benefícios para os estudos. Veja, a seguir, os principais.

DESENVOLVE A CRIATIVIDADE

Além de ser uma boa alternativa para a véspera de uma prova, o mapa mental funciona para quem quer ser criativo. Quando você coloca no papel palavras-chave que surgem à medida que aparecem na sua cabeça, algumas ideias interessantes podem nascer dali.
Afinal, não podemos dizer que quando criamos algo, essa criação surgiu do nada, não é mesmo? Todas as coisas geradas pelo cérebro nascem de um apanhado de conhecimentos, memórias e experiências.

ESTIMULA A MEMORIZAÇÃO

A maneira como o mapa mental é construído é bastante útil para a memorização de conteúdos. Isso acontece porque o cérebro interliga uma ideia na outra. E não se trata apenas de decoreba: a memória realmente funciona melhor por meio de associações verbais e visuais.
Assim, vários exercícios cerebrais que envolvem disposições espaciais, figuras e encadeamentos são estudados como gatilhos de memória. Por isso, não deixe de criar seu próprio mapa mental para fixar um conteúdo complicado.

CONTRIBUI PARA ORGANIZAR AS IDEIAS

O mapa mental também é uma alternativa interessante para quem quer organizar as ideias de maneira prática e efetiva. Algumas pessoas acabam estudando na última semana antes da prova — quem nunca fez isso, não é?
Dessa forma, elas podem criar um mapa mental de pendências acadêmicas, colocando o tópico principal no meio e palavras-chave que se relacionam. Ao finalizar o processo, os estudantes terão uma visão sistêmica sobre o conteúdo que será abordado na prova, por exemplo.
Assim, a técnica auxilia na visualização de prioridades e a entender melhor os problemas a partir de um panorama. Essas características também são fundamentais na carreira profissional, já que ajudam na tomada de decisão estratégica.

COMO CRIAR UM MAPA MENTAL PARA ESTUDO?

De maneira geral, o mapa mental é confeccionado a partir de canetas coloridas e papel, que possam categorizar e destacar partes da matéria. Confira, a seguir, como criar o seu.

COMECE PELO CENTRO

A técnica funciona como uma árvore, que se ramifica do centro para as bordas. Assim, no centro da árvore você pode colocar uma imagem ou palavra.

NÃO DEIXE INFORMAÇÕES SOLTAS

O segundo passo é conectar os primeiros ramos aos ramos subsequentes e ao central. O objetivo do mapa é fazer a relação de ideias, portanto, nenhum conceito deve ficar solto.

USE A CRIATIVIDADE

Usar linhas curvas e cores é importante para destacar o material, fazendo com que os conteúdos sejam fixados mais facilmente. Portanto, coloque cada primeiro ramo dos mapas mentais em uma cor diferente. Com prática e tempo, você aprenderá a criar as próprias diferenciações e categorias.
Agora que você já sabe o que é um mapa mental para estudo, lembre-se de que essa é uma técnica importante para memorizar os conteúdos. Por isso, não deixe de criar o seu com as dicas acima.
Gostou do conteúdo e quer ficar por dentro sobre cursos de graduação, financiamento, bolsas e muito mais? Então, siga-nos nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Twitter, no YouTube, no LinkedIn e no Instagram!