Entenda como funciona a nota do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio é uma das portas de entrada para as universidades brasileiras. Por isso, entender como funciona a nota do Enem é essencial para conseguir um bom desempenho na avaliação e aumentar as chances de fazer o curso dos sonhos.
O sistema de correção tem critérios específicos, que são diferentes da maior parte dos vestibulares tradicionais. Estar por dentro dessas informações ajuda a orientar a sua rotina de estudos e a evitar erros comuns.
A dica é acompanhar as mudanças que acontecem no exame e entender o que a banca espera do aluno. São estratégias excelentes para resolver todas as questões com mais tranquilidade e se sair muito bem.
Neste post, você entenderá como funciona o método de correção, o peso das questões pelo grau de dificuldade, a avaliação da redação e como calcular a sua média. Boa leitura!

O QUE É A TRI?

A ferramenta de correção usada pela banca examinadora do Enem é a Teoria de Resposta ao Item (TRI). É o método adotado pelo exame desde 2009 e vale para todas as questões de múltipla escolha. Nesse sentido, não inclui a redação.
A intenção com a TRI é avaliar a coerência pedagógica e evitar o famoso “chute”. Assim, as questões são separadas por graus de dificuldade: fácil, médio e difícil. Com isso, é possível observar mais a coerência das respostas do que a quantidade de acertos.
Portanto, um aluno que tem maior volume acertos, mas erra os itens considerados fáceis, pode ter uma nota mais baixa do que outro com o menor número de questões corretas, mas que apresente um desempenho mais coeso.

POR QUE QUESTÕES MAIS FÁCEIS SÃO MAIS VALORIZADAS?

Para entender como funciona a nota do Enem, é preciso conhecer o seu sistema de correção. Como vimos, a partir método chamado TRI, a banca examinadora entende que um aluno que erra as questões consideradas fáceis e acerta as mais difíceis tem maior chance de ter chutado.
Dessa forma, acertá-las ajuda a mostrar para a banca que a prova foi feita usando os próprios conhecimentos e não a sorte. Afinal, elas são consideradas uma base para aquela área.
Ainda assim, caso você não saiba a resposta para uma pergunta, é interessante tentar o acerto. Isso porque questões em branco são automaticamente consideradas como erradas. Nesse caso, a dica é usar estratégias de aproximação, como a eliminação de alternativas com menores chances de estar corretas.

COMO FUNCIONA A NOTA DAS PROVAS OBJETIVAS?

O Enem conta com 180 questões de múltipla escolha, que são divididas igualmente entre quatro áreas do conhecimento — 45 questões para cada uma delas. Veja quais são:
  • Linguagens Códigos e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias.
Cada prova vai até 1.000 pontos, mas dificilmente eles são atingidos. Por outro lado, a nota mais baixa que pode ser obtida não é zero. Ainda que não haja nenhum acerto, o exame atribui uma nota mínima, por conta de as questões não terem o mesmo valor.
O sistema de correção desenvolve uma escala de conhecimento a partir do comportamento do candidato na avaliação. Assim, cada uma das provas tem um resultado independente, que posteriormente vai compor a média do participante.

COMO FUNCIONA A NOTA DA REDAÇÃO?

Como mencionamos, o recurso da TRI não é válido para a prova de redação. Ela é avaliada a partir de cinco competências, cada uma compreendendo a 200 pontos da nota total do aluno. No caso da redação do Enem, é possível obter nota zero, além de ser mais frequente alcançar a pontuação total, que é 1.000. As competências analisadas são:
  • DOMÍNIO DA NORMA PADRÃO

     Usar a norma culta da língua portuguesa e saber aplicar as suas regras ortográficas e de concordância são critérios analisados pela banca;
  • COMPREENSÃO DA PROPOSTA DE REDAÇÃO

   O exame sempre apresenta uma sugestão de tema, que deve ser respeitada. Por isso, a adequação é avaliada;
  • COERÊNCIA DO TEXTO

     O participante deve defender o seu ponto de vista a partir de uma argumentação organizada e da relação com as áreas do conhecimento;
  • CONHECIMENTO DOS MECANISMOS LINGUÍSTICOS

    O Enem tem uma estrutura de redação que ajuda a construir um texto coeso. Conseguir conectar as ideias nesse formato é importante;
  • PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

     O exame sempre espera do participante uma proposta de intervenção ao problema que respeite os direitos humanos. A relação com a possibilidade prática e com a redação produzida são analisadas pela banca.
As redações passam por dois avaliadores, que atribuem isoladamente a nota a cada uma das competências. O resultado do participante é a média entre as duas correções. Caso haja uma diferença maior que 80 pontos na avaliação de alguma das competências, recorre-se a um terceiro examinador.

COMO CALCULAR A MÉDIA GERAL?

Para calcular a média simples do Enem, basta somar todas as provas e dividir o resultado por 5. Porém, em alguns casos, as instituições de ensino podem atribuir pesos diferentes para as áreas em seus processos seletivos.
Isso acontece quando aqueles conhecimentos são muito importantes para a graduação desejada. Nessas situações, é preciso realizar um cálculo mais elaborado.
Para encontrar a média em uma seleção com valores diferentes, é preciso multiplicar a prova com peso maior que 1 pelo valor atribuído. Por exemplo, se a redação tem peso 3 e as outras áreas têm peso 1, você multiplica a nota da redação por 3 e soma o resultado às restantes.
Observe que, nesse caso, o cálculo da média também será diferente. No exemplo citado, a soma das notas teria que ser dividida por 7, afinal, a redação é equivalente a 3 provas.
Deu para perceber como é importante saber como funciona a nota do Enem para se preparar melhor para a avaliação e, com isso, aumentar as suas chances de entrar na universidade dos seus sonhos. Um bom desempenho no exame pode fazer toda a diferença.
Além de ajudar a ingressar no ensino superior, o Enem pode dar acesso a programas de bolsas de estudos. Saiba mais sobre como conseguir a bolsa universidade.