Curso de Jornalismo: Habilidades e competências

  • Graduação
  • habilidades
  • jornalismo

Quem tem vontade de fazer uma graduação em Jornalismo sempre pesquisa sobre as atribuições do profissional. Afinal, uma escolha segura depende da identificação com a carreira, certo?
 
E muita gente, quando pensa nessa área, imagina que o único caminho possível é a bancada de um telejornal ou as reportagens gravadas. Mas saiba que existem outros perfis de jornalista no mercado.
 
Neste conteúdo, vamos conhecer não só o que pode fazer esse profissional, como também as habilidades e competências que compõem o perfil de jornalista. Acompanhe com a gente!
 
 

O QUE FAZ UM JORNALISTA?

O jornalista é quem investiga histórias, apura informações e as repassa para a população, por meio de um jornal impresso, uma reportagem de TV, em notícias para portal digital e assim por diante. Esses textos existem em diversos formatos, não apenas como artigos e notas, há também as entrevistas, as planilhas ou os gráficos de dados.
 
Além de escrever, o jornalista fica responsável pela revisão dos materiais, que devem seguir a gramática e a ortografia corretas, entre outros detalhes. O ritmo da fala no telejornalismo, por exemplo, é tão importante quanto a pontuação no conteúdo para uma revista.
 
O Jornalismo é um dos cursos de comunicação, no qual sua principal atribuição será a de se comunicar de diferentes maneiras com determinado público. Então, seja um repórter, seja um assessor de imprensa, o diálogo escrito ou falado é de grande importância. Além desses cargos, veja outras possibilidades:
 

• Em reportagens que exigem um deslocamento para coletar depoimentos, o profissional também pode atuar como cinegrafista ou fotógrafo;

• Para conteúdos de rádio, o jornalista pode ser responsável pela coleta, pelo tratamento e pela edição de áudios. Assim como para a TV ou outros meios audiovisuais, ele faz as entradas como locutor ou repórter;

• Dependendo de seu status no mercado, recebe convites para ser colunista em algum jornal ou revista, espaço no qual sua opinião é bastante respeitada;

• Antes da produção de qualquer peça jornalística, existe uma reunião para definir os assuntos abordados, e o profissional faz as pautas. Elas contêm referências de pesquisa, dados-chave para o texto e muito mais.

 
 

QUAL É O PERFIL DE JORNALISTA?

Em primeiro lugar, o jornalista é uma pessoa que tem a curiosidade aflorada –– aquela vontade de ir atrás dos fatos, entender os lados de uma história, conhecer os personagens envolvidos e tudo o mais, sabe? Essa é uma das habilidades que instigam o profissional a aprimorar seu trabalho investigativo.
 
Também, para compor as melhores reportagens, o jornalista precisa ser atencioso, detalhista e imparcial. Uma boa dose de persistência permite que ele não desista no meio do caminho.
 
Afinal, muitas fontes podem negar uma entrevista, esconder informações, desviar das perguntas e assim por diante. Nesses casos, jogo de cintura é bem útil.
 
 

O QUE É PRECISO PARA SER JORNALISTA?

Vimos um perfil geral de jornalista. Mas você já se perguntou quais são as habilidades interpessoais e competências técnicas necessárias para mandar bem na profissão? É sobre isso que falaremos a partir de agora.
 

PODER DE PERSUASÃO

Para convencer a fonte a dar seu depoimento e contribuir com a reportagem, muitas vezes, será necessário negociar –– não mencionar determinados assuntos, por exemplo. O poder de persuasão é um trunfo na hora de conduzir as entrevistas, principalmente diante de pessoas mais introvertidas ou cautelosas.
 

INTERPRETAÇÃO

Sendo o jornalista aquele profissional imparcial, ele precisa interpretar a fala de seus entrevistados, os cenários em que as histórias estão envolvidas e assim por diante. Um desencontro de informações pode ser bastante prejudicial à sua carreira e ao próprio acontecimento.
 
Em alguns casos, essa interpretação apurada é válida quando o entrevistado deixa coisas subentendidas e o profissional precisa “ler nas entrelinhas”.
 

DOMÍNIO DE IDIOMAS

Durante o processo de escrita, muitas vezes, você pode precisar entender referências em outras línguas, o que torna o conhecimento de idiomas fundamental. O inglês é o principal deles, mas não pare por aí, se for possível. Diversos materiais sobre a área não têm tradução hoje e poderiam ser um diferencial na sua carreira.
 
Além disso, sem o conhecimento em idiomas, algumas oportunidades podem se perder pelo caminho, como: intercâmbios, cargos de correspondente internacional e até vagas em multinacionais.
 
 

COMO DESENVOLVER ESSAS HABILIDADES E COMPETÊNCIAS?

Tanto as soft skills, que são as habilidades relacionadas ao comportamento, quanto as hard skills (técnicas) podem ser aprimoradas ao longo da sua vida. Veja de quais formas é possível alcançar esse perfil de jornalista.
 

ESTUDE BASTANTE

crescimento profissional depende dos estudos, e nessa área não seria diferente. Por isso, é fundamental não esquecer as diferentes técnicas de estudo usadas para o Enem e outros vestibulares: elas serão de grande ajuda durante os períodos da graduação em Jornalismo.
 

TREINE A ESCRITA

Treinar a escrita é essencial para dominar essa arte. À medida que pratica, melhor ficam os seus textos. É uma forma, também, de aprender a estrutura das notícias, que segue a pirâmide invertida, na qual as principais perguntas são respondidas no começo para só então virem os detalhes.
 

INVISTA NO NETWORKING

Construir uma rede de contatos poderosa ajuda não apenas a crescer profissionalmente, mas a conseguir indicações para vagas no mercado e até de fontes para alguma matéria. Vale utilizar o LinkedIn, comparecer a eventos, trocar ideias com quem já tem experiência de carreira, entre outras ações.
 

CONSUMA DIFERENTES CONTEÚDOS

Para dominar as regras de Português e abrir a mente para a construção de um repertório de conhecimentos, é preciso ler bastante: notícias nacionais e internacionais, livros acadêmicos, obras de diferentes tipos, entre outras opções.
 

FAÇA UMA GRADUAÇÃO

Sabe todas as dicas que vimos neste artigo? A faculdade de Jornalismo é o melhor cenário para colocá-las em prática. Ao escolher uma instituição de ensino de qualidade, você tem professores altamente capacitados, que não só ajudarão a compor seu conhecimento. Eles vão reforçar sua prática de escrita nos diferentes formatos de texto e favorecer seu networking.
 
Durante a graduação, verá disciplinas teóricas para moldar sua base na área da comunicação, mas não só isso. As matérias práticas darão um panorama sobre como funcionam os segmentos do Jornalismo (rádio, TV, editoração etc.), a fim de tornar você um profissional completo.
 
Agora que você conheceu o perfil de jornalista, vai ficar mais fácil decidir se essa é a carreira ideal para o seu futuro, não é? Lembre-se de que não é preciso ter todas essas habilidades e competências de berço –– é interessante desenvolvê-las ao longo da graduação, e uma instituição de qualidade se torna essencial para esse objetivo.
 
Já que estamos falando em Jornalismo, temos um convite especial: continue por aqui e saiba quais são os caminhos para quem faz graduação em Comunicação Social!