Conheça 10 carreiras para quem decidiu cursar Enfermagem

Se você deseja cursar enfermagem, provavelmente sonha em contribuir para a saúde e o bem-estar de seus pacientes, atuando em clínicas e hospitais. Porém você sabia que há muitas outras oportunidades de carreira para aqueles que decidem dedicar suas vidas a essa nobre profissão?
Mesmo sendo o caminho mais natural para quem investe na graduação em Enfermagem, a atuação em ambientes hospitalares não é a única opção para os enfermeiros formados.
Muito além do atendimento e suporte em assistência médica oferecido em unidades de saúde, o papel do enfermeiro em outros setores também é muito valorizado, trazendo novas oportunidades de atuar em mercados muito promissores.
                
      Ainda na dúvida sobre a graduação em Enfermagem? Então conheça casos de sucesso de alunos que investem na realização deste sonho. Clique aqui e saiba mais. 
                
Quer conhecer mais sobre as oportunidades de atuação e carreira para quem cursa Enfermagem? Então acompanhe nosso artigo e fique por dentro do mercado de trabalho e dos desafios da profissão. Confira.

1. ENFERMAGEM GERAL

No ambiente hospitalar, o enfermeiro é o responsável pela coordenação de toda a equipe de técnicos e auxiliares, atuando na gestão dos serviços de enfermagem e no atendimento e cuidado aos pacientes.
O profissional também pode trabalhar no atendimento domiciliar a pacientes, atuando no cuidado intensivo, no controle e administração de medicamentos e outras necessidades tradicionais de enfermos no sistema home care.
Na enfermagem geral, o profissional pode atuar em clínicas, hospitais, casas de repouso, unidades de pronto atendimento, escolas, creches, centros de apoio à saúde e muito mais. De acordo com o Guia de Profissões e Salários da Catho, a média salarial para o cargo de enfermeiro no Brasil é de R$ 3.681,20.

2. ENFERMAGEM EM ALTA COMPLEXIDADE

Atuar na promoção da saúde de pacientes em situações de alta complexidade é um papel fundamental da área de enfermagem. Trabalhando neste setor, o profissional lida diariamente com enfermos em estado crítico, prestando assistência intensiva e agindo para a melhoria da qualidade de vida e recuperação de seus pacientes.
Nesta área, o enfermeiro também presta orientação às famílias dos pacientes, desenvolve ações necessárias para o socorro em situações de emergência e gerencia as equipes de enfermagem para prestação de cuidados intensivos.
Para trabalhar em UTIs, CTIs, Unidades Coronarianas, Unidades de Emergência e outros setores, o enfermeiro pode investir em especialização através do curso de Pós-Graduação em Enfermagem em Alta Complexidade. A média salarial para o cargo de enfermeiro de cuidados intensivos no Brasil é de R$ 3.813,75, segundo o Guia de Profissões e Salários da Catho.

3.ENFERMAGEM EM ONCOLGIA CLÍNICA

O estudo, diagnóstico, prevenção e tratamento do câncer exigem do enfermeiro a habilidade de lidar com situações de forte pressão. Neste setor, é papel do profissional prestar assistência ao paciente nas várias etapas do tratamento, tais como pré e pós-operatório, administração de medicamentos, radioterapia e quimioterapia.
Na área oncológica, o enfermeiro lida não apenas com o paciente, mas também com seus familiares. Por isso, ele também é fundamental na hora de orientar sobre todos os procedimentos, desde o diagnóstico da doença até o tratamento, incluindo o período pós-internação.
No Brasil, a média salarial para enfermeiros oncológicos é de R$ 4.755,00 segundo o site vagas.com. Para atuar neste setor, o profissional também precisa investir em especialização, cursando a Pós-Graduação em Enfermagem em Oncologia Clínica.

4. ENFERMAGEM NEONATAL

O enfermeiro neonatal é o responsável pelos cuidados de recém-nascidos saudáveis e enfermos, exigindo muito preparo e estudo para lidar com esse estágio tão vulnerável da vida.
Trabalhando em maternidades, UTIs neonatais, clínicas e hospitais especializados, o profissional atua na avaliação, no cuidado, no manejo e na assistência à saúde dos bebês, tornando-se indispensável também para a sua adaptação e formação do vínculo familiar logo nos primeiros momentos de vida.
Para atuar como enfermeiro neonatal, o profissional de enfermagem precisa investir em especialização e cursar a Pós-Graduação em Enfermagem Neonatal. A média salarial para o cargo no Brasil é de R$ 3.846, segundo o site vagas.com.

5. ENFERMAGEM OBSTÉTRICA

Responsável por todo o cuidado e atendimento de mulheres durante a gestação, o enfermeiro obstetra é fundamental para garantir a saúde da gestante e da criança no decorrer da gravidez e no parto.
Durante a prática da profissão, o profissional será encarregado de examinar a gestante, analisar a saúde da mulher e do bebê, auxiliar a equipe médica durante procedimentos e exames necessários e atuar na educação das mulheres sobre os cuidados necessários no período gestacional.
No momento do parto, o profissional participa de forma ativa, verificando as contrações, orientando a mãe e analisando quaisquer alterações no organismo da gestante e do próprio bebê. No pós-parto, seu papel inclui a educação sobre os cuidados necessários para o restabelecimento da saúde da mãe e os procedimentos necessários para lidar com o recém-nascido.
Para atuar como enfermeiro obstetra em hospitais, clínicas, centros de saúde, maternidades e instituições especializadas, é necessário cursar a Pós-Graduação em Enfermagem Obstétrica. No Brasil, a média salarial para profissionais que atuam na área é de R$ 4.724, segundo o site vagas.com. 

6.ENFERMAGEM FORENSE

Nesta área, o profissional irá atuar ativamente na investigação de crimes, na assistência às vítimas e agressores, identificação de lesões e até mesmo nos processos de autópsia e coleta de provas.
Os enfermeiros que trabalham na área forense desempenham um papel muito importante na sociedade, contribuindo com as equipes de investigação e lidando com casos criminais a fim de solucionar problemas médico-legais.
Atuando de forma técnica e aplicando os conhecimentos e habilidades de enfermagem em questões judiciais, neste setor, o profissional precisa ter muita empatia, estar preparado para lidar com situações de violência, traumas físicos e psicológicos e investigações difíceis.
De modo geral, o enfermeiro forense pode trabalhar em hospitais, centros de saúde, instituições médico-legais e outros setores da sociedade, como escolas, comunidades, penitenciárias, conselhos tutelares, delegacias, centros de acolhimento, entre outros.
Para atuar no setor, o profissional precisa se especializar em enfermagem forense, investindo em um curso de pós-graduação. A média salarial para a área é de R$ 4.500, segundo pesquisa realizada pelo portal JobbyDoo. 

7. ENFERMAGEM DE RESGATE

Os enfermeiros de resgate, também chamados de enfermeiros socorristas, atuam no pronto-atendimento e salvamento de vítimas de calamidades públicas, violência, acidentes e outras situações que colocam em risco a saúde e a vida.
Responsável por prestar os primeiros socorros, o enfermeiro socorrista atua em favor das vítimas ainda no local, durante o transporte até as unidades de saúde e no pós-resgate.
É ele quem averigua as condições dos pacientes, executa os atendimentos necessários para preservar a vida e inicia os procedimentos em situações de risco para salvar as vítimas de forma rápida e eficaz.
Os enfermeiros socorristas costumam trabalhar na área hospitalar, em clínicas, instituições de saúde, centros de resgate e similares. Segundo o site vagas.com, a média salarial para o setor é de R$ 3.107.

8. ENFERMAGEM EM CENTRAL DE MATERIAL E ESTERIALIZAÇÃO

O papel do enfermeiro na Central de Material e Esterilização – CME – é de suma importância para garantir a segurança, higiene, controle e boa gestão dos materiais e ambientes clínicos das instituições.
Sua atuação em prol do tratamento adequado dos materiais que chegam ao setor é fundamental para identificar e tratar os artigos críticos, semicríticos e não críticos a fim de evitar a contaminação dos materiais por micro-organismos, vírus e bactérias.
Isso garante mais segurança para a atuação dos profissionais em campo, pois os itens médicos utilizados em exames, cirurgias e procedimentos clínicos precisam ser processados e esterilizados de forma correta a fim de garantir uma utilização segura em outras ocasiões através do tratamento diferenciado para cada situação.
Para atuar como enfermeiro especializado em Central de Material e Esterilização, o profissional precisa investir em um curso de pós-graduação. A média salarial para o enfermeiro CME no Brasil é de R$ 4.161, segundo o site vagas.com.  

9. ENFERMAGEM DO TRABALHO

Responsável por zelar pela saúde dos funcionários nas empresas, o profissional que trabalha no setor de Enfermagem do Trabalho atua no cuidado da saúde dos trabalhadores e também na assistência de profissionais de segurança do trabalho.
Trabalhando em prol da preservação do bem-estar e promoção da qualidade de vida dos colaboradores, o enfermeiro desempenha um papel fundamental nas empresas já que avalia e acompanha quadros de enfermidade, presta os primeiros socorros aos trabalhadores, conscientiza e prescreve ações de cuidados com a saúde, identificando e prevenindo possíveis problemas no ambiente de trabalho.
No dia a dia, sua atuação também inclui a educação dos colaboradores sobre proteção contra agentes químicos, físicos ou biológicos, a promoção de campanhas de saúde e prevenção, a criação de projetos de incentivo a hábitos saudáveis e a administração de todo o setor de enfermagem da empresa.
Os enfermeiros que atuam no setor costumam trabalhar na área corporativa, em empresas, instituições, multinacionais e similares. Segundo o site vagas.com, a média salarial para o setor é de R$ 3.856.

10. PESQUISA CLÍNICA

O enfermeiro que trabalha com pesquisa clínica atua principalmente na avaliação da segurança e da eficácia de fármacos, medicamentos e vacinas. Seu papel na área de investigação científica é fundamental para encontrar novas formas de prevenir, detectar e tratar doenças, além de atuar na descoberta de tratamentos alternativos e terapêuticos.
Trabalhando no desenvolvimento de testes laboratoriais e estudos clínicos sobre os recursos e ferramentas da área médica, o enfermeiro que atua no setor exerce suas atividades em clínicas, laboratórios, hospitais, institutos de pesquisa e universidades.
No Brasil, segundo o site vagas.com, a média salarial para os profissionais do setor é de R$ 7.661,00.
Como vimos, as oportunidades para os profissionais de enfermagem são muito vastas e oferecem chances de obter sucesso em diferentes setores da sociedade. Por isso, se você sonha em seguir carreira neste segmento, saiba que a Universidade Veiga de Almeida possui um corpo docente qualificado e preparado para conduzir o curso de Enfermagem com excelência.
Para saber mais sobre a graduação em Enfermagem, veja os detalhes do curso clicando aqui.