4 Carreiras muito valorizadas na área de ciências exatas

  • áreas
  • carreiras
  • ciências exatas

Tem afinidade pelos números e pensa em construir uma carreira nas Ciências Exatas, mas ainda não decidiu qual profissão escolher? Pois você não pode deixar de ler este post!

Aqui você vai entender de uma vez por todas o que é a área, conhecer algumas das atividades que estão em alta nela, saber o porquê de elas serem valorizadas e descobrir qual é a expectativa salarial no ramo. Bastante coisa, não é? Por isso, vamos começar!

O QUE É A ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS?

Quando se fala em Ciências Exatas é quase impossível evitar: você lembra de imediato das carreiras em Arquitetura e Engenharia (como a Engenharia Civil, a Engenharia de Produção, a Engenharia Mecânica etc.), não é mesmo?

Afinal de contas, no período pré-vestibular é frequente essa relação. Para completar, elas ainda são conhecidas por terem muitas matérias relacionadas não só à matemática, mas também à física — dois conteúdos bastante presentes nessa área.

Porém, aqui vai uma revelação: essa associação está errada! Sim, isso mesmo que você leu. As Ciências Exatas e da Terra, popularmente chamada apenas de Ciências Exatas, não conta nem com uma nem com a outra.

Os campos que realmente fazem parte delas, como mostra o levantamento oficial do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), são os seguintes:

• Matemática (com quatro subcampos);

•Física (com sete subcampos);

• Química (com quatro subcampos);

• Probabilidade e Estatística (com três subcampos);

• Ciência da Computação (com cinco subcampos);

• Astronomia (com seis subcampos);

• Geociências (com cinco subcampos);

• Oceanografia (com quatro subcampos).

Todos os oito focam o estudo e a pesquisa dos fenômenos naturais. Eles se aprofundam em como ocorrem esses fenômenos, os efeitos que causam no clima e no meio ambiente e como eles impactam o homem e podem ser manipulados por ele.

Para tanto, recorrem às aplicações constantes de fórmulas e de conceitos matemáticos como método de estudo, previsão e controle em meios físicos e, acima de tudo, computacionais — o que envolve a criação de sistemas, equipamentos, programações e uma série de atividades tecnológicas. É por esse motivo que há tantos subcampos na área.

QUAIS SÃO AS CARREIRAS VALORIZADAS NAS CIÊNCIAS EXATAS?

Como já ficou claro o que é ou não Ciências Exatas, nós vamos aproveitar este tópico para falar de algumas das carreiras mais valorizadas na área, explicando o que elas fazem e, inclusive, revelando a média salarial nelas. Preparado? Então vamos lá!

1. CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO

A primeira delas é a de Ciências da Computação. Quem escolhe essa carreira vai atuar diretamente com a criação, a produção e a atualização de programas, plataformas e sistemas que usamos em aparelhos com acesso à internet, serviços de comunicação privada e redes de dados públicos.

É, sem dúvidas, uma profissão muito importante porque contribui diretamente para o aperfeiçoamento e o desenvolvimento de novas plataformas digitais e equipamentos usados não só no mercado de trabalho, mas também no nosso dia a dia.

sondagem do site Salário aponta que quem se forma nesse campo e atua como pesquisador tem um ganho médio bem alto: cerca de R$ 6.706,15. Já o teto da profissão é ainda mais alto, chegando a R$ 13.773,79.

2. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Já na carreira de Sistemas de Informação, o profissional atua com o planejamento, a programação e a manutenção de sistemas computacionais. Graças a ele, as organizações públicas e privadas conseguem montar uma rede de computadores interna e manter uma gestão ativa de transmissão de informações virtuais.

Algo que se torna bastante útil quando a empresa trabalha em múltiplas regiões e faz tanto monitoramentos quanto previsões estatísticas em tempo real. Segundo os dados do portal Salário, quem atua no segmento tem um rendimento médio de R$ 4.088,52, e ele pode chegar a ganhar R$ 9.542,42 no auge da carreira.

3. OCEANOGRAFIA

A Oceanografia, por outro lado, é um ramo profissional no qual você estuda, pesquisa e monitora os ambientes aquáticos — em especial, os oceanos — e as atividades que ocorrem neles.

Por exemplo, o comportamento das ondas, a vida animal e os aspectos de preservação dela, a presença de elementos estranhos ou desconhecidos nas águas, alterações em regiões costeiras, mares ou pontos de exploração petrolífera etc.

Conforme a pesquisa do portal Salário, um oceanógrafo tem a remuneração na faixa dos R$ 5.169,88. Com o ganho de experiência, ele chega a receber R$ 10.081,02 mensais.

4. METEOROLOGIA

Por fim, na Meteorologia, trabalha-se com a observação, a análise e a elaboração de estatísticas relacionadas às mudanças climáticas e terrestres que interferem na natureza e nos ambientes urbanos e rurais. Além disso, há muitas atividades desenvolvidas com foco em fenômenos ocasionais ou atípicos (como furacões e nevadas).

De acordo com o levantamento do site Salário, um meteorologista ganha, em média, R$ 4.951,53. Porém, no auge da carreira esse valor praticamente duplica, chegando a R$ 9.785,78.

POR QUE ESSAS CARREIRAS SÃO PROMISSORAS?

Há pouco, nós mostramos quatro carreiras das Ciências Exatas. Você deve estar se perguntando o que as leva a estarem em alta no mercado, não é verdade? Pois bem, vamos sanar sua dúvida!

Há alguns motivos por trás disso, entre eles, a boa remuneração apresentada. Afinal, elas estão bem acima do salário mínimo vigente no país em 2020, que é de R$ 1.045,00. Ou seja, há um ótimo retorno financeiro ao escolher essas profissões.

Outra razão é o efeito que os quatro campos causam em diversos setores (e olha que não são poucos!). Por exemplo, cada inovação feita por um profissional de Ciências da Computação e Sistemas de Informação repercutem no uso e na atualização de tecnologia e de recursos digitais na indústria, no meio corporativo, no varejo e na internet.

Por sua vez, os oceanógrafos e os meteorologistas realizam trabalhos, pesquisas e intervenções no meio ambiente que influenciam desde o agronegócio e o turismo até a nossa rotina, a forma de nos vestirmos e os locais que visitamos.

Fora isso, essas carreiras contam com baixa concorrência por vagas. Ou seja, o número de profissionais formados ainda está abaixo do que o mercado precisa. Tanto é que, em 2018, segundo dados do MEC (Ministério da Educação), os quatro campos, juntos, tiveram apenas 30.473 concluintes.

Portanto, você pode se graduar neles e ainda se especializar em um dos diversos subcampos de cada área, aproveitando, assim, uma boa variedade de empregos em empresas, instituições e órgãos públicos.

E então, gostou de entender melhor o que são as Ciências Exatas e, de quebra, de conferir algumas das mais valorizadas carreiras da área? Pois agora é o momento de avaliar qual é o seu perfil profissional e até, quem sabe, realizar um teste vocacional para descobrir qual o curso de graduação desse ramo é perfeito para você!

E se precisar de ajuda para saber mais a respeito de como ingressar no ensino superior e ter uma formação de primeira, já sabe: entre em contato com a gente!