UVA - Universidade Veiga de Almeida

Cursos de Graduação, Pós-Graduação, Mestrado e Extensão

Universidade Veiga de Almeida

Ligue para a UVA (21) 2574 8888


Acesso ao Sistema

Aluno
Professor
Esqueci a senha

Início > Notícias > Entenda como age o AVC

Entenda como age o AVC

15 de fevereiro de 2017

Professor explica como acontece a doença

Uma das principais causas de morte e incapacitação no Brasil é uma doença evitável. O acidente cardiovascular cerebral (AVC) mata uma a cada três pessoas no país e pode atingir qualquer pessoa. O coordenador de Enfermagem da Universidade Veiga de Almeida (UVA), Márcio Tadeu Ribeiro Francisco, conta como prevenir e tratar e quais são sintomas de um AVC.

Para se prevenir do acidente cardiovascular é preciso tomar alguns cuidados com o corpo, como adotar uma alimentação saudável, praticar frequentemente exercícios físicos, realizar exames periodicamente e evitar cigarro. “A saúde preventiva para o corpo e a mente são fundamentais para ser saudável”, explica o professor.

Em relação aos sintomas da doença, normalmente, não se sente dores, mas são comuns fraqueza e fadiga física. Além disso, também costuma ocorrer, ao menos, duas dessas indicações: dificuldade em falar e/ou entender, tontura, alteração da coordenação motora e perda temporária da visão.

Apesar dos sintomas serem parecidos, existem dois tipos de AVC: o isquêmico, que é quando o oxigênio e o sangue não conseguem manter o fluxo por conta de uma veia entupida; e o hemorrágico, quando um vaso cerebral é rompido, causando sangramento em algum ponto do sistema nervoso.

Segundo o Ministério da Saúde, 90% dos casos de AVC podem ser evitados. Por isso, é preciso seguir os cuidados para não sofrer o acidente cardiovascular e ser afetado por sequelas. Elas podem acontecer em diversos locais do corpo, como dificuldades de movimentar um lado do corpo, perda da audição, olho caído, boca torta, incontinência urinária e fecal, perda de memória e diversas outras complicações.

“Hoje em dia, existem diversos programas de saúde da família que auxiliam sobre o tema. Respeite seu corpo, que é a melhor forma de viver bem”, ressalta Marcio Tadeu.


Marcelo Barra
Estagiário - Comunicação Institucional